segunda-feira

Descontrução Junina

Versos virados do avesso

Luiz Gonzaga que me perdoe, mas foi inevitável. Assim como sua música "Olha pro céu" me serviu de cenário e trilha sonora para o começo de uma história de amor que não deu certo, vejo que ela, agora, me serve de inspiração para o triste final da mesma. Vi na desconstrução da música de Gonzaga a possibilidade de fazer um contraste da alegria do começo com a dor da separação. Para alguns, pode parecer falta de criatividade minha o fato de partir de uma textura já pronta e já tão conhecida de todos. Mas garanto a qualquer um que a originalidade está intrinsecamente ligada ao contexto vivido por este autor (des)construtor, desde a gênese até o apocalípse da situação vivida. Situação vivida, consumida e, logo após, morrida.
_____________

DESCONSTRUÇÃO JUNINA
(por Miguel Félix)

Eu olho pro céu, meu amor
E vejo que ele já não é mais tão lindo
Não tem estrelas, nem brilho, nem cor
E nem vejo fogos surgindo

Foi numa noite, quase igual a esta
Que tu arrancastes meu coração
O céu já não estava mais em festa
E já não era mais dia de São João

Já não havia mais balões no ar
Nem xote, xaxado ou baião
E foi à distância, sem poder mais te olhar
Que você pediu separação
.

4 comentários:

Luana disse...

cmMiguelito, o que mais eu posso dizer a não ser:VOCÊ É UM GÊNIO!!!Você consegue por em palavras todo um sentimento de uma forma tão natural e tão livre...Quem lê se sente envolvido por uma maré que vai puxando de leve para o fundo das suas emoções!Parabéns!E pode me considerar sua fã number 1!!!

Luana Noblat

stefânia disse...

gatooooo, arrasou! lindo, lindo, lindo o poema!!!!
beijão, cachaça da minha vida!!!

Allysson Allan disse...

Grande Miguel,

Parabéns pela adaptação, ela deve se perpetuar à outros songs e poemas.

Até!

evinhaRyan disse...

poow, Desculpa ae a "invasao", mas fui pulando de Blog em Blog e parei aqui.. Miguel, muito massa, muito criativo, muito envolvente teu texto. Esses tais "Versos virados do avesso" que parecem nos hiponitizar e quem sabe nos refletir, relembrar. Quem nunca viveu um amor de São João?! un?! É hora de tirar do guarda-roupam, NOVAMENTE, aquela roupa caipira, que uso o ano passado, lembra?! Aaah, aquele chapeu de palha, estiloso que só ele e aquele sapato meio gasto, sabe?! Aquele que tanto dançaste, naquelas palhoçinhas. Pois é... Só pra te lembrar que o calor Junino das noites frias se aproxima. Quem sabe não voltaremos a ver balões, xote, xaxado [...]Parabéns pelo texto.